Uma das grandes preocupações que os gestores precisam ter, em relação a seus funcionários, é com os possíveis acidentes de trabalho.

Para ajudar nesse trabalho de proteção aos colaboradores, existe a medicina ocupacional, uma especialidade que se preocupa, principalmente, com a prevenção das doenças no exercício profissional e controle dos riscos do ambiente de trabalho.

Entender a sua função e importância é fundamental para que os gestores tornem o negócio não só dentro das normas, mas também mais seguro para os colaboradores. O que irá garantir que o trabalhador poderá exercer sua função sem que sua saúde e qualidade de vida estejam em risco.

Por essa garantia da saúde do trabalhador, as próprias empresas têm cada vez mais buscado o atendimento da medicina ocupacional como mais um fator de qualidade para a produção da empresa.

O que antes era feito só para se evitar multas e perda de mão de obra, agora tem ganhado importância, devido ao amadurecimento do pensamento das empresas dos mais diversos setores. Junto com uma maior produtividade para a empresa, a saúde dos trabalhadores são preservadas, reduzindo os casos de acidentes e doenças do trabalho.

 

O que é Medicina Ocupacional?

A medicina ocupacional, ou medicina do trabalho, se trata de uma especialidade médica voltada para a prevenção e tratamento de todas as doenças envolvidas com as atividades profissionais de trabalho.

A própria constituição prevê a prevenção de doenças ocupacionais ou do trabalho, assim como reduzir suas complicações, são definidos como direitos do trabalhador. 

Também é inegável que essas prevenções beneficiam as empresas, pois ajudam a aumentar a produtividade dos trabalhadores, uma vez que serão reduzidas as ausências do trabalho, remanejamentos e até trocas de funções.

Portanto, a medicina ocupacional é uma especialidade médica que trabalha com as relações entre a saúde e o trabalho dos funcionários da empresa.

O profissional irá se atentar não só a prevenção dos acidentes e doenças do trabalho, como também com a saúde e qualidade de vida dos trabalhadores.

Onde através de ações articuladas capazes de assegurar a saúde individual, física e mental, proporcionará uma relação saudável entre os funcionários, e com o ambiente de trabalho.

Atuando na promoção e preservação da saúde do trabalhador, é competência do médico do trabalho avaliar e detectar condições adversas nos locais de trabalho, que possam pôr em risco a saúde do trabalhador.

 

Importância

Como já abordamos, o principal objetivo da medicina do trabalho, ou medicina ocupacional, é a prevenção de doenças que o trabalhador está exposto em sua atividade profissional. Entretanto, traz consigo outros benefícios, como:

  • PCMSO

O médico ocupacional tem como tarefa a aplicação de um programa de proteção chamado PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), que é executado de acordo com cada área de atuação do trabalhador dentro da empresa.

  • Acompanhamento da saúde do funcionário

Outro importante benefício obtido a partir da medicina ocupacional é o acompanhamento da saúde dos funcionários, pois o médico ocupacional irá indicar quais exames devem ser realizados rotineiramente para cada funcionário de acordo com sua função.

  • Evitar complicações jurídicas

As penalidades resultado de infrações das leis e normas trabalhistas podem trazer pesadas consequências para a empresa. Mesmo as mais brandas são acompanhadas de altas multas para a empresa.

A função principal da legislação é proteger o trabalhador de ter sua vida e saúde posta em risco. Por exemplo, trabalhos da área rural possuem cerca de 36 normas, que são divididas de acordo com as atividades dos trabalhadores.

Havendo uma fiscalização bastante atuante, e sempre presente nas empresas para garantir que funcionem respeitando o cumprimento das normas.

Entretanto, como diversos empresários acreditam que a medicina ocupacional se resume a exames de admissão e demissão, há muitos casos de multas às empresas.

Como dito anteriormente, a medicina ocupacional atua como uma área médica voltada aos cuidados da saúde do trabalhador.

Muitas atividades profissionais são realizadas em ambientes insalubres, que comprometem a saúde de qualquer ser humano, portanto, cabe ao médico indicar quais equipamentos de proteção individual (EPI), devem ser utilizados para que se evite os danos à saúde do trabalhador.

Os demais integrantes da equipe devem orientar sobre postura, bons hábitos, exercícios regulares, para que o trabalhador possa estar em plena saúde e assim desenvolver suas atividades com o máximo de desempenho.

 

Legislação 

As leis e normas que regem a medicina ocupacional estão registradas, principalmente na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), onde regulamentam as relações quando envolve trabalho, tanto em atividades urbanas, quanto rurais.

Havendo, dentro da CLT, um capítulo especial para a legislação em saúde ocupacional, visando zelar pela saúde e bem-estar físico, mental e social dos trabalhadores.

Neste capítulo existem 70 artigos que tem como intenção melhorar a proteção da saúde e integridade física e psicológica dos trabalhadores.

Dentre eles, temos o artigo 157, que garante a obrigação do cumprimento das normas e medidas de segurança e medicina do trabalho, a capacitação dos trabalhadores para que entendam a necessidade dos EPIs, e evitar acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, além de tornar obrigatório que as empresas facilitem o exercício da fiscalização pelas autoridades competentes.

Seguindo a CLT, temos regras e normas relacionadas a saúde e segurança do trabalhador, e normas que tratam da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Além de atribuir a obrigatoriedade do uso de EPIs durante o trabalho, e desempenho da função.

Enquanto as medidas preventivas de medicina ocupacional, regulam os exames médico admissional, demissional e periódico, relatando também as doenças profissionais e ocupacionais.

A aplicação de tudo que está na legislação iria melhorar em muito a qualidade dos ambientes de trabalho nas empresas. Entretanto, as empresas exibem diversas dificuldades nessa execução plena.

Cabe aos médicos do trabalho seguir as normas e indicar a empresa a sua obrigatoriedade, assim como comandar toda essa área. Devendo então integrar a exigência das atividades profissionais na sociedade e o impacto na saúde do trabalhador.

Sendo necessário também que se passe conhecimento para o trabalhador, conscientizando a respeito de suas atividades profissionais, seus riscos e obrigações. Além de ser função do médico prescrever os exames médicos e preventivos.

Logo, vemos que a medicina ocupacional tem como função principal proteger os trabalhadores, promovendo a proteção da sua saúde física, mental e social.

E para isto são determinados diversas normas e leis, que implementam diversas obrigatoriedades, entre elas o uso de EPIs, exames periódicos e conscientização dos trabalhadores.

Os exames admissionais, demissionais e periódicos permitem o médico do trabalho, e a empresa, saibam como está a saúde daquele trabalhador e a partir disso tomar decisões que venham a melhorar seu ambiente de trabalho, ou que venham a aumentar a sua proteção.

Serão palestras, cursos, e demais métodos para compartilhar o conhecimento e tornar o trabalhador mais ciente dos riscos que envolvem sua atividade, e como se proteger de cada um deles.

Para isso, é necessário que se tenha um bom planejamento, assim como uma equipe competente e engajada na proteção da saúde dos trabalhadores.

Os exames periódicos são a melhor forma de monitoramento da saúde dos trabalhadores, pois irá protegê-los de acidentes e doenças do trabalho, sendo combatido no início do seu surgimento, como também protegem a empresa de possíveis penalidades decorrentes das normas.

 

Conclusão

Temos a medicina ocupacional como um dos maiores promotores da saúde dos trabalhadores, pois os profissionais desta área irão atuar na prevenção, monitoramento e nos casos de acidentes irão socorrer os trabalhadores.

Claro que seus trabalhos vão muito além disso, sendo necessário conhecimentos de diversas outras áreas, para o desempenho da atividade.